Empresas de publicidade exterior acusam CML de subir taxas

A Associação Portuguesa das Empresas de Publicidade Exterior (APEPE) criou uma petição que visa reverter o aumento das taxas de publicidade aplicadas pela Câmara Municipal de Lisboa (CML) em edifícios. Segundo a associação, a autarquia aumentou as taxas em 200% ou 400%, consoante os casos, sem avisar previamente as empresas.

Até 31 de Maio deste ano, a taxa era de 0,22 €/m2/dia para publicidade em empenas cegas e de 0,48 €/m2/dia para publicidade em andaimes de obra, de acordo com a APEPE. A partir de 1 Junho, terão subido para 0,85 €/m2/dia para ambas as situações.

“Esta medida coloca, a curto-prazo, a extinção de dezenas de empresas nacionais de publicidade, assim como centenas de postos de trabalho”, indica a APEPE em comunicado enviado às redacções, acrescentando que o aumento “resulta na eliminação deste formato de publicidade, deixando o monopólio da publicidade exterior para a empresa que venha a ganhar o concurso público da CML, terminando totalmente com a livre concorrência”.

A APEPE lembra que a publicidade em edifícios é a única que apoia proprietários e condomínios, ao permitir a realização de obras reabilitação, conservação e restauro. “Desde a data do aumento das taxas, não foram instaladas novas telas publicitárias em Lisboa”, garante a associação, indicando que “o mercado está totalmente parado”. Como consequência, a Câmara “não tem obtido as respectivas verbas provenientes das taxas camararias”.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo