Emirates considerada a companhia aérea mais valiosa

Customer photo_2A Emirates foi considerada a marca mais valiosa entre as companhias aéreas mundiais, pelo terceiro ano consecutivo. De acordo com o relatório The Brand Finance Global 500 relativo a 2014, a companhia aérea, que detém hoje a 234ª posição na lista, é também a mais valiosa marca no Médio Oriente pelo quarto ano consecutivo, e está actualmente avaliada em 5,48 mil milhões de dólares, registando um aumento de 34% relativamente ao valor de 2013.

«Estamos extasiados por o valor da nossa marca ter aumentado e por a Emirates ter mantido a sua posição no ranking, uma vez que isso reflecte o nosso sucesso em conquistar clientes e em mantermo-nos importantes para os mesmos num ambiente global altamente competitivo e em constante mudança», refere em comunicado Boutros Boutros, divisional senior vice president, corporate communications, marketing and brand da Emirates.

A Brand Finance, consultora de avaliação de marcas líder no mundo, lançou o relatório anual The Brand Finance Global 500 que avalia o valor, em dólares, da reputação, imagem e propriedade intelectual das mais importantes marcas no mundo nas mais diversas categorias. O ranking considera ainda na avaliação, um número considerável de atributos tais como a ligação emocional, desempenho financeiro e sustentabilidade, taxas de crescimento económico, entre outros.

Segundo David Haigh, chief executive da Brand Finance, «a Emirates transporta mais passageiros de longa distância do que qualquer outro concorrente e tornou-se o standard através do qual as restantes companhias aéreas são avaliadas. Enquanto colaboradores da mais valiosa marca do Médio Oriente, o staff da Emirates é embaixador em toda a região, representando uma ponte e construindo excelentes relações em diversas culturas através do seu exemplar serviço», realça.

Com uma frota de 212 aviões, a Emirates opera para 141 destinos em 80 países a partir do Dubai, dando emprego a um total de 48 mil colaboradores, de mais de 160 nacionalidades.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo