Elevator pitch: 10 dicas para vender uma ideia

Por Eduardo Adas, sócio fundador da SOAP – State of the Art Presentations

A criatividade é o motor de qualquer agência de publicidade ou de qualquer negócio ligado à comunicação. Nada pode ser mais importante para uma marca do que boas narrativas que ajudem à sua construção. Dos publicitários (e dos demais profissionais de comunicação) espera-se que tenham boas ideias, mas, principalmente, que saibam apresentá-las em pouquíssimo tempo. Eis um grande desafio: como vender um conceito num discurso curto, inteligente e, sobretudo, atraente? Elevator pitch é a resposta.

Trata-se de uma apresentação sucinta de uma ideia que contém as informações essenciais sobre o assunto, com o propósito de despertar o interesse da outra parte. Um minuto é o tempo suficiente para apresentar as principais informações. Caso a outra parte tenha interesse, sem dúvidas ela pedirá mais detalhes sobre a ideia. Existem algumas dicas que poderão fazer com que o elevator pitch seja ainda mais convincente na publicidade. Vamos a elas?

1 – Desperte o interesse: a “conversa de elevador” precisa de ser rápida. Então, use isso em seu favor e não entregue todos os detalhes imediatamente. Faça com que o interlocutor, que pode ser o profissional de atendimento da própria agência, ou mesmo o cliente final, fique interessado em saber mais sobre a sua ideia.

2 – Exale confiança: se quer convencer alguém sobre algo que vai apresentar, o primeiro passo é transmitir confiança. Prepare-se e mantenha a calma. O outro vai “sentir” se você realmente domina a ideia que está apresentando.

3 – Não seja um vendedor insistente: a sua missão é apresentar uma ideia e é isso o que deve fazer. Não o faça de forma insistente. Atenha-se à sua fala e não procure vender nada directamente, por enquanto.

4 – Foque no objectivo: é fundamental que você tenha um objectivo antes de apresentar a sua ideia a alguém. Será uma campanha de longo prazo? Ou uma acção mais pontual? Não importa. Pense em qual é o seu objectivo e jamais, em hipótese alguma, se desvie dele.

5 – Transmita credibilidade: se a sua agência de publicidade possui clientes com grande reputação no mercado, por exemplo, não deixe de citá-los numa apresentação para um potencial cliente. Isso ajudará a reforçar a credibilidade. Não se preocupe em utilizar expressões como “somos pioneiros”, caso essa seja a realidade da sua agência.

6 – Aprimore a sua apresentação constantemente: todas as vezes em que você apresentar o seu elevator pitch, naturalmente vai perceber que alguns pontos devem ser melhorados. Não hesite: faça ajustes, sempre que necessários, a fim de melhorá-lo constantemente.

7 – Emane paixão: quando alguém ama o que faz é possível ver isso em seus olhos. Publicitários, no geral, amam o seu “job”. Alguns, porém, precisam transmitir paixão ao falarem sobre ele. Isso aumentará as chances das outras pessoas comprem as suas ideias com mais facilidade.

8 – Originalidade: encontre formas de apresentar a sua ideia de modo original. Porém, tenha cuidado para não parecer artificial: é melhor fazer uma apresentação básica do que agir de modo forçado.

9 – Adeqúe-se ao público: certamente, terá que criar versões diferentes do seu elevator pitch considerando o público ao qual o irá apresentar: internamente, na agência, ou para o cliente. Por isso, verifique se a versão actual está adequada ao perfil do público.

10 – Tenha uma call-to-action: elas são essenciais para indicar o próximo passo que você espera do seu interlocutor. Assim como na propaganda, use verbos no imperativo ou no indicativo, como: “faça”, “promova”, “realize”. Crie urgências e ofereça benefícios, destacando para o outro os motivos pelos quais vale a pena aderir à sua ideia.

*Eduardo Adas vai falar sobre a arte de criar narrativas rápidas e impactantes durante a Rock in Rio Innovation Week, já no próximo dia 4 de Julho, no LACS-Conde d’Óbidos, em Lisboa

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
MultiOpticas continua a apostar no apoio a crianças e jovens em risco
Automonitor
Novo Renault Captur com classificação máxima no EuroNCAP