E se não tivesse direito a licença de maternidade?

A Lauren está grávida de 260 semanas. Porquê? Porque não se pode dar ao luxo de ficar algumas semanas sem trabalhar. É esta a base do anúncio “A Long Five Years”, desenvolvido pela Biscuit Filmworks para a National Partnership for Women & Families, organização social que luta pelos direitos das mulheres e famílias.

Na história contada no anúncio, nem a Lauren nem o seu marido têm direito a licença de maternidade/paternidade paga, pelo que Lauren decidiu adiar o nascimento da criança e continuar grávida. Segundo a associação, os Estados Unidos da América constituem o único país desenvolvido sem licença parental paga obrigatória. Como resultado, 86% dos cidadãos empregados têm de abdicar de dias de férias ou faltar ao trabalho para cuidados dos seus filhos recém-nascidos.

O objectivo do anúncio é apelar aos espectadores para que assinem uma petição que pretende mudar a lei no país.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Qual é, afinal, o papel do líder?
Automonitor
Primeiro Porsche 911: Uma obra-prima alemã