E, de repente, tudo muda!


fotografia_2M.ª João Vieira Pinto

Directora Redacção da Marketeer

Editorial publicado na edição de Julho de 2013 da revista Marketeer

Lembro-me de ter começado no jornalismo numa grande redacção cheia de “cabelos brancos”, com quem aprendia todos os dias. Não havia internet e a procura de informação era um trabalho exaustivo. Mas havia arquivos, passagens de testemunhos, de memórias, ensinamentos! E havia casas cheias com especialistas para as diferentes secções!

Porque havia leitores, fiéis. Os jornais e revistas vendiam e cresciam. Os títulos multiplicavam-se. A publicidade chegava e as marcas investiam. Uma relação de valor que nos incentivava a sermos melhores, todos os dias. Equipas motivadas e profissionais a quererem dar sempre mais, a conseguir melhores notícias e fazer outras reportagens, a ganhar novos e mais leitores.

O paradigma mudou e o mercado teve que se reinventar.

As redacções são curtas, as equipas desdobram-se e desmultiplicam-se em diferentes funções, a publicidade escasseia. Os leitores, esses foram para outras plataformas. O que obrigou a que cada marca tivesse mesmo que sair da sua zona de conforto e desmaterializar-se no online, nas redes sociais, nos tablets ou na rua, para se manter no mercado… Mas o que implica, também, que os níveis de motivação se mantenham. Que se agarre nas equipas e as leve ao colo, para que mais nada se perca.

Porque pelo meio de tudo isto deixou ainda de haver tempo para questionar. Para perceber melhor o porquê, para se pensar assuntos com a dignidade e profundidade que eles tanto merecem. E com multitarefas, deixou tantas vezes de haver espaço e tempo para a inspiração chegar. Agora, mais do que nunca, as ideias nascem de dedicação, esforço e investimento, muitas vezes “roubando” outros tempos.

Já que são raros os tais “cabelos brancos”, que tanto ajudavam a pensar. Diz-se que o Verão é o momento ideal para deixar entrar novas ideias. Porque a descontracção se impõe, porque o convívio é outro, porque a informação chega muitas vezes sob a forma de conversa à mesa. E é importante que entrem novas ideias, para que a mudança continue, mas sem maior desgaste de valor.

A si, que nos lê todos os meses, recomendamos o mesmo que nós por cá tentamos fazer: relaxe, descanse e deixe-se inspirar. Para voltar cheio de garra!

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...