Design português premiado nos Muse Awards

As agências portuguesas foram bem-sucedidas na edição deste ano dos Muse Awards e dos Muse Design Awards, competições promovidas pela International Awards Associates. Ambas visam reconhecer trabalhos que coloquem a estética a favor das marcas, criando conceitos diferenciadores.

Nos Muse Awards, a Omdesign conquistou prémios de Platina para os projectos “Quinta do Castro book” e “Honore Port Film”, ambos desenvolvidos para a Quinta do Castro. Soma ainda um prémio de Ouro para “Blandys Wine Lodge” (Madeira Wine Company) e outro para “Pedras Experience” (Super Bock Group). A “Fotobiografia de Júlio Resende” também valeu Ouro à agência.

A Moxy, por seu turno, leva na bagagem três prémios de Platina para o seu próprio site, além de um prémio de Ouro. Por fim, a Creative Carbon Studio recebeu um prémio de Prata para “RedeSaúde App”, desenvolvida para a RedeSaúde.

Passando para os Muse Design Awards, a M&A Creative conta com um prémio de Ouro para “Gravuras do Côa” (Mateus & Sequeira Vinhos) e outros para “Florbela (Quinta da Mariposa). Recebeu ainda galardões de Prata por “Conde de Arraiolos” (Herdade das Mouras) e “Louco” (António Saramago Filho) e um prémio Rose Gold para “Calçada Velha” (Adega Mor).

O estúdio Tiago do Vale Architects recebeu um prémio de Ouro por “The Dovecote-Granary” (António Paulino, Casa do Cruzeiro) e outro por “The Gafarim House”.

A Omdesign, por seu turno, viu o projecto “Honore” (Quinta do Castro) reconhecido com Ouro e Platina, ao passo que o projecto de auto-promoção “Omdesign 2018 packaging” conquistou Ouro. Por outro lado, “Aguardente Mosca” (José Maria da Fonseca) recebeu Prata e “Altano Wines” (Symington Family Estates) e “Porto Dalva Colheira 1968 Dry White” (C. da Silva) receberam prémios Rose Gold.

Resta ainda uma distinção de Platina para Tiago do Vale Architects e o trabalho “The Three Cusps Chalet”, criado para o próprio estúdio.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
7 formas para se voltar a apaixonar pelo seu trabalho
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo