Deflação nos bens de grande consumo em Portugal

A Europa apresenta o ritmo mais lento dos últimos seis anos no que respeita ao crescimento do preço dos bens de consumo, tendo apresentado uma subida de apenas 0,7% no primeiro trimestre deste ano. Em Portugal, a situação é ainda mais extrema: ente Janeiro e Março, registou-se uma deflação de 1,8% face aos nove trimestres anteriores.

Segundo o relatório “Growth Reporter” da Nielsen, a deflação levou a que a facturação tenha crescido apenas 1,8%, ainda que os volumes tenham aumentado 3,6% no primeiro trimestre do ano. Contudo, ressalva o relatório, o aumento das vendas em 1,8% em Portugal consegue ser superior ao da Europa que apenas cresceu 1,5% no mesmo período.

O aparente bom resultado deve-se, em parte, ao crescimento de 6% nas bebidas alcoólicas. Já a área dos lacticínios mantém-se enquanto a única com perdas de vendas (-2%). No geral, conclui a Nielsen, as categorias de higiene sobem mais do que a área alimentar e as marcas de fabricante apresentam um crescimento de 4,4%, ao passo que as de distribuição caem 2,8%.

Quanto aos bens de consumo a nível europeu, o “Growth Reporter” indica que a Turquia foi o país que apresentou um crescimento de facturação mais acentuado nos primeiros três meses deste ano (9,7%). Segue-se a Polónia e a Hungria. Do lado das quebras, está a Grécia (-6,1%) e a Finlândia (-2,8%).

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
MultiOpticas continua a apostar no apoio a crianças e jovens em risco
Automonitor
Novo Renault Captur com classificação máxima no EuroNCAP