Crowdfunding traz festival de cinema infantil a Lisboa

play_2A organização do Play – 1º Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil de Lisboa lançou uma campanha de crowdfunding, na plataforma PPL, com o objectivo de angariar uma verba de 3.000 euros, que será usada para completar o cartaz. O festival decorre entre 1 e 9 de Fevereiro no Cinema São Jorge e destina-se a crianças até aos 13 anos.

Em comunicado, a Tecla Play, associação que promove o festival, explica que a decisão de lançar uma campanha de crowdfunding se prende com a “dificuldade, acentuada pela crise actual, em angariar apoios e patrocínios para projectos de índole cultural e social”. O valor pretendido “será usado para trazer ao festival 10 longas e médias-metragens para integração na programação do mesmo, filmes que, de outra forma, dificilmente serão vistos pelos mais novos nas salas portuguesas”, acrescenta.

Qualquer pessoa pode contribuir com montantes a partir de um euro, sendo que as contrapartidas variam de acordo com o valor da contribuição. T-shirts, pins, convites, sacos ou a inscrição do nome no quadro de honra dos fundadores do festival são algumas das recompensas atribuídas.

“Com esta acção, pretendemos também sensibilizar os portugueses para a prática do crowdfunding, enquanto alternativa eficaz para viabilizar projectos culturais e outros”, adianta a Tecla Play, acrescentando que a campanha de crowdfunding é também dirigida a empresas, que desta forma poderão tornar-se co-fundadoras do festival.

A campanha de crowdfunding decorre até ao próximo dia 20. Até ao momento, foram angariados 425 euros (ou seja 14% do objectivo).

O Play – 1º Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil de Lisboa conta com o apoio da EGEAC e da Câmara Municipal de Lisboa.

Veja aqui a apresentação do Play:

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Portugal atraiu 610 estrangeiros «altamente qualificados» através deste programa
Automonitor
Regulamento da mobilidade elétrica obriga a celebrar contratos de adesão