Crescimento do comércio de retalho abranda

Na Zona Euro, o comércio de retalho deverá crescer somente 1,7% este ano. Para 2019, espera-se uma subida ligeiramente mais acentuada, chegando aos 2,1%. As previsões são do BNP Paribas, segundo o qual o crescimento nos principais mercados está a abrandar: na Alemanha, por exemplo, o salto de 3% em 2017 deverá ser seguido de uma evolução menos dinâmica de apenas 1,2% este ano.

Europa Central e Oriental são as regiões com os melhores resultados, com países como a Polónia e República Checa a crescer 6 e 5,3%, respectivamente.

O BNP Paribas indica ainda que, no primeiro semestre deste ano, os volumes de investimento no segmento de retalho permaneceram superiores à média de 10 anos, ainda que o seu peso no total tenha caído de 23 para 22%. Destaque para França, cujo investimento imobiliário saltou 57% devido à transação da Apple Store nos Campos Elísios.

Em Portugal, o mercado de investimento imobiliário comercial somou 1,4 mil milhões de euros, entre Janeiro e Junho. O segmento de retalho corresponde à maior fatia, chamando a si um total de 800 milhões de euros. “Este irá continuar a prosperar e seguir a tendência europeia de crescimento do comércio de rua, que deverá manter os níveis de procura em alta”, revela o banco.

Perante os resultados do primeiro semestre as previsões para o próximo ano, o BNP Paribas conclui que mudanças estruturais estão a caminho. A era digital está a fazer com que marcas que vivam predominantemente no espaço físico enfrentem dificuldades, uma vez que os negócios online começam a fazer pressão.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Portugal atraiu 610 estrangeiros «altamente qualificados» através deste programa
Automonitor
Regulamento da mobilidade elétrica obriga a celebrar contratos de adesão