Cortes reduzem prejuízo do Grupo Impresa em 74%

impresa_logo_2O Grupo Impresa anunciou um resultado líquido negativo em 857,8 mil euros nos primeiros três meses do ano, o que representa uma melhoria de 74,2% em relação às perdas de 3,3 milhões de euros encaixadas no período homólogo de 2012. A redução do prejuízo do grupo ficou a dever-se às medidas de corte das despesas (sobretudo relacionadas com produção, programação e pessoal), uma vez que as receitas caíram ligeiramente.

Entre Janeiro e Março, o grupo liderado por Pedro Norton alcançou um EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de 3,6 milhões de euros, mais 239% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto a margem EBITDA subiu cinco pontos percentuais, para 7%. Já os resultados operacionais fixaram-se em 2,1 milhões de euros, contra um valor negativo em 900 mil euros no período homólogo do ano transacto.

Em comunicado, o Grupo Impresa informa ainda que a SIC obteve lucros antes de impostos de 2,6 milhões de euros, impulsionados pelo crescimento de 217,1% do EBITDA, para 4,2 milhões de euros.

A melhoria do EBITDA do grupo foi conseguida através da redução dos custos operacionais consolidados, que compensou a quebra das receitas. No período em análise, o dono da SIC, Expresso e Visão, entre outros títulos, diminuiu os custos operacionais (sem os efeitos de amortizações e depreciações) em 6,7%, para 48 milhões de euros, “como consequência, principalmente, das medidas de reestruturação tomadas em 2011 e 2012”. “Deste modo, os custos variáveis caíram 5,2%, com os custos de produção e de programação a serem os principais responsáveis por esta descida, e os custos fixos desceram 9,4%, devido à redução dos custos com pessoal e dos custos com FSE”, explica o Grupo Impresa.

Por sua vez, as receitas consolidadas caíram 1,8%, para 51,6 milhões de euros. As receitas publicitárias recuaram 5,8%, para 24,2 milhões de euros, acompanhadas por uma quebra de 9,7% das receitas de circulação relacionadas com as publicações do grupo, para 6,8 milhões de euros, o que reflecte “a contração da economia e a descontinuação de alguns títulos em 2012”, justifica o grupo. Em contrapartida, as receitas na área Multimédia subiram 35,5%, para 6,4 milhões de euros.

No período em análise, a dívida líquida do Grupo Impresa diminuiu 4,5% em termos homólogos, para 213,4 milhões de euros.

Face aos resultados apresentados, o grupo anuncia que irá dar continuidade à política de contenção de custos iniciada em 2011. “Tendo como principais objectivos a melhoria dos resultados operacionais, a diversificação de receitas, a continuação do esforço de redução do passivo remunerado e o regresso aos resultados líquidos positivos, a Impresa vai continuar a manter um apertado controlo dos custos operacionais e a aposta na conquista de quota de mercado”, informa.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Tem dificuldade em encontrar espaços para conferências? Há salas renovadas em Lisboa.
Automonitor
Volvo quer impacto climático neutro em 2040