Conveniência norteia consumo na Páscoa

As sobremesas refrigeradas compõem a categoria de produtos com um maior crescimento na semana da Páscoa, comparando os dois últimos anos. De acordo com a Nielsen, a preferência por opções mais convenientes fez com que o consumo deste tipo de produtos aumentasse 36%. Destaque ainda para as frutas em conserva (+11%) e para as sobremesas instantâneas (+7%).

Paralelamente, se as sobremesas já feitas ganham peso, ingredientes como açúcar, farinha e margarina (necessários para fazer bolos e outros doces) vêem as suas vendas cair.

Marta Teotónio Pereira, client consultant senior da Nielsen, sublinha como também as frutas ganharam relevância na Páscoa do ano passado: «Os morangos, ananás, frutas tropicais e laranjas foram as principais frutas escolhidas nesta época, indicando que começa a haver uma preocupação com o saudável também em alturas festivas.»

Festa em casa

A mesma análise da Nielsen revela que, no geral, a Páscoa é sinónimo de festa em casa. Os portugueses parecem ser fãs de reunir a família à mesa de suas casas, fazendo com que o consumo aumente nesta semana.

A par das sobremesas, a carne tem um papel de destaque nesta época. O cabrito e o borrego continuam a ser os mais tradicionais mas, no ano passado, verificou-se um crescimento no consumo da carne de vaca (+15%), na de porto (+9%) e na de aves (+9%).

Marta Teotónio Pereira justifica este cenário com a conveniência e fortes promoções, que podem influenciar as escolhas dos consumidores. Neste sentido, «sendo a conveniência um factor ao qual os consumidores estão muito atentos, os produtos de take-away também terão uma oportunidade de crescimento nesta época caracterizada por um maior consumo», afirma a responsável.

No que diz respeito a ofertas, o chocolate é rei, logo seguido pelos frutos secos com cobertura de chocolate, ovos e outras figuras.

No campo das bebidas, vinho e cerveja são as preferidas dos portugueses para acompanhar a refeição, ao passo que o vinho do Porto surge em destaque na categoria de aperitivos e digestivos. A Nielsen coloca ainda em evidência o crescimento de segmentos como Cerveja com Álcool Preta, Sidras, Panachés e White Spirits.

«Uma vez que a data em que se comemora a Páscoa é flexível, o consumo está também bastante dependente das condições climatéricas. Na Páscoa de 2017, e em resultado de temperaturas altas, verificou-se o crescimento de categorias como os Gelados (+84% na semana da Páscoa de 2017 versus 2016), Solares, Produtos para Depilação e Descoloração de Pelos assim como Insecticidas e Acessórios para Animais», conclui Marta Teotónio Pereira.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Page Assessment tem novo Executive manager
Automonitor
Conselhos para conduzir à chuva