Comunicar a digitalização de profissões tradicionais

Por Cezary Szandecki, head of Marketing da YourHero

Sendo este um artigo para publicação na edição online de uma revista, vou partir do princípio de que o está a ler no computador onde trabalha ou no seu smartphone. E vou também partir do princípio – cada vez mais comum – de que estes dois ecrãs são hoje fiéis depositários do seu olhar e do seu tempo durante largas horas do seu dia, seja por trabalho ou por lazer, claro. Mas também por necessidade.

Imagine, por exemplo, que ao terminar de ler este texto, em sua casa, repara que a máquina de lavar roupa avariou. Ou que os estores do quarto se estragaram. Ou simplesmente conclui que não pode adiar mais a pintura que a parede da sua sala reclama há meses. O que é que fará para procurar soluções para o problema?

Se há não muitos anos, o mais provável seria telefonar a um amigo para saber se conhecia alguém ou vasculhar as gavetas onde guardava os folhetos que recolhia na caixa do correio. Hoje, o mais natural é abrir um novo browser e googlar quem lhe possa fornecer esses serviços nas proximidades e tão rápido quanto possível.

Este é o novo mundo digital em que vivemos. E se é verdade que os avanços da tecnologia fizeram emergir muitas profissões novas, é igualmente verdade que, neste contexto digital, várias profissões viram-se também obrigadas a reinventar-se. Nomeadamente inúmeras profissões tradicionais – electricistas, carpinteiros, pintores, etc. – que tiveram de acompanhar os novos tempos para manter e conquistar clientes. E isso trouxe, consigo, um novo desafio de comunicação.

A verdade é que, actualmente, estes profissionais não podem contar somente com a divulgação tradicional ou com o word of mouth na hora de conquistar novos clientes: já não vivemos um tempo em que basta fazer um serviço de qualidade para que um negócio se torne lucrativo. É preciso estar onde as pessoas estão e lutar por estar no top of mind dos clientes sempre que eles precisam dos nossos serviços.

No caso destas profissões, isso passou, em parte, pela transição do mundo offline para o mundo digital. Não só através da criação e disponibilização de plataformas e aplicações digitais agregadoras de serviços como a YourHero e os seus concorrentes, mas também através de estratégias de comunicação que substituíram os obsoletos panfletos nas caixas de correio e que procuram diferenciar-se da “publicidade tradicional” destes serviços em imprensa ou rádio. Para atingir os nossos targets, clientes e potenciais clientes sabemos que é preciso explorar e investir em múltiplos canais digitais de comunicação.

O marketing digital é, neste momento, uma das principais preocupações das empresas que operam nesta indústria de serviços ao domicílio. Todos querem aparecer em primeiro lugar nos resultados do Google quando os clientes pesquisam por “serviços de limpeza” ou “jardineiros”, por exemplo. Tal acontece porque sabemos que hoje essa é uma das principais formas de angariar clientes. Se as pessoas precisam de algum serviço para a sua casa, muito provavelmente irão googlar por profissionais que o façam. Neste contexto digital, é esse o caminho mais ágil, rápido e confortável.

A presença nas diferentes redes sociais é outro factor que não pode descurado. O futuro passa cada vez mais pelos embaixadores de marcas, influenciadores digitais e a sua interacção com os públicos. É neste ambiente digital que nos queremos mover cada vez mais e, como tal, já neste mês de Novembro iremos lançar uma campanha de marketing de influência, encabeçada por duas personalidades bastante mediáticas. Sabemos que os consumidores são mais influenciados por rostos que reconhecem e admiram do que por aquilo que as próprias marcas transmitem. Queremos conectar as pessoas com a nossa marca, profissionais e serviços e, para isso, o marketing de influência tem de ser um dos grandes pilares de uma estratégia de comunicação.

O envolvimento cada vez maior destas profissões com a digitalização não significa que o “canalizador vizinho” – aquele que toda a gente conhece, gosta e recomenda – vá deixar de existir, até porque o word of mouth continua a ter uma forte influência, apenas já não é suficiente para a angariação de novos clientes. A digitalização dos serviços tornou-se indispensável ao mundo offline, na medida em que veio simplificar a vida das pessoas e proporcionar-lhes maior conforto e qualidade de vida. O mercado de trabalhos tradicionais sabe disso e tende cada vez mais a reinventar-se e a adaptar-se às novas “regras do jogo”.

Ler Mais



loading...
Artigos relacionados

Comentários estão fechados.