Como se comunica um carro eléctrico?

A transição energética obriga as marcas automóveis a um forte investimento em produção, mas também a um novo paradigma de comunicação, onde argumentos como a potência e o ruído do motor são substituídos por novos eixos de diferenciação.

Texto de Daniel Almeida

Fotografia de Paulo Alexandrino

Em Junho passado, o Parlamento Europeu aprovou a medida que decreta o fim da comercialização de veículos com emissões poluentes até 2035, no âmbito do pacote climático “Fit for 55”. Por outras palavras, a partir desse ano as fabricantes automóveis deixarão de poder vender veículos com motores movidos a combustíveis fósseis dentro da União Europeia (UE). O desafio é colossal para as marcas do sector que, nos últimos anos, de um modo transversal, envidaram esforços e investimentos no sentido de acelerar a transição energética, mas agrava-se agora pelo contexto de pandemia e de guerra na Ucrânia, que coloca novos entraves, quer na parte produtiva (de semicondutores e outros componentes automóveis), quer na vertente logística e de distribuição.

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Outubro de 2022 da revista Marketeer.




loading...
Artigos relacionados

Comentários estão fechados.