CMVM dispensa OPA no negócio Optimus + Zon

isabel santosO conselho directivo da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deu luz verde ao pedido de derrogação do acto de dever de lançamento de oferta pública de aquisição (OPA) relativo à fusão entre a Zon e a Optimus, avança o Diário Económico.

O pedido de dispensa de OPA tinha sido enviado em meados de Março à CMVM pela Zopt, o veículo detido em partes iguais por Isabel dos Santos (principal accionista da Zon, detendo 28,8% do capital) e pela Sonaecom (dona da Optimus), e que irá deter o controlo sobre a futura Zon Optimus SGPS, através de uma posição maioritária de 50,1% do capital da entidade.

O negócio fica agora apenas dependente da aprovação da Autoridade da Concorrência (AdC), que recebeu em Fevereiro passado os pareceres da Anacom e da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC). A Anacom comunicou que é favorável à operação e a ERC também não se opõs ao negócio que irá dar origem à segunda maior empresa do sector das telecomunicações no mercado português. Junto da AdC já se constituíram como contra-interessadas na operação a Portugal Telecom (PT), a Vodafone e a Cabovisão, segundo o jornal Público.

Recorde-se que o processo já tinha sido aprovado em Março passado pelos accionistas quer da Zon quer da Sonaecom.

Juntas, Zon e Optimus serão complementares, já que a primeira se destaca no negócio da televisão paga e da banda larga e a segunda nas telecomunicações móveis. De acordo com o jornal Público (detido pela Sonaecom), estima-se que a operação vá gerar sinergias entre 300 e 400 milhões de euros e criar um grupo com receitas de 1,6 mil milhões de euros.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Portugal atraiu 610 estrangeiros «altamente qualificados» através deste programa
Automonitor
Regulamento da mobilidade elétrica obriga a celebrar contratos de adesão