Circulação nos transportes públicos caiu mais de 11%

metro_2Os transportes públicos voltaram a perder mais de 11% dos passageiros no primeiro trimestre do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, com a excepção dos aviões, que registaram um aumento de 2,5% dos passageiros, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com os dados do INE, entre Janeiro e Março, o Metropolitano de Lisboa transportou um total de 34,2 milhões de passageiros, menos 17,1% (ou 7,2 milhões de passageiros) em relação ao período homólogo do ano passado, com a taxa de utilização a cair de 26 para 24%. Já no Metro do Porto, a redução foi de 4,4%, para 13,5 milhões de deslocações, com a taxa de utilização a baixar “ligeiramente” para 17,3%.

Quanto aos comboios, asseguraram nos primeiros três meses do ano a deslocação de 30,5 milhões de pessoas, menos 13,4%, em termos homólogos. O número de passageiros caiu em todos os meses, mas de forma mais agravada no mês de Janeiro (-17,5%). “A estes decréscimos não foram alheios os períodos de greve ocorridos”, explica o INE.

Na rede suburbana de comboios, a quebra foi de 13,8%, para 27,3 milhões de passageiros.

Por sua vez, o transporte fluvial registou 5,9 milhões de passageiros até Março, o que representa uma redução homóloga de 11% – “tal como se verificou durante todo o ano de 2012”, sublinha o INE.

No período em análise, os aeroportos portugueses receberam 5,8 milhões de passageiros, mais 2,5% em termos homólogos, distribuindo-se entre 2,83 milhões de passageiros desembarcados (3%) e 2,86 milhões de passageiros embarcados (1,7%).

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Portugal atraiu 610 estrangeiros «altamente qualificados» através deste programa
Automonitor
Regulamento da mobilidade elétrica obriga a celebrar contratos de adesão