CEO do YouTube teme fim da internet como a conhecemos

Cinco páginas. É esta a dimensão da carta que Susan Wojcicki, CEO do YouTube, escreveu aos criadores que utilizam a plataforma de vídeo. Nela, a executiva aponta quais as prioridades do YouTube bem como as mais recentes novidades.

Susan Wojcicki aproveita também para se pronunciar, pela primeira vez, sobre o Artigo 13 da nova directiva europeia referente aos direitos de autor. De acordo com a CEO, a comunidade criativa – que permitiu aumentar em 75% o número de canais com mais de um milhão de subscritores, no ano passado – está em risco, uma vez que as novas regras poderão mudar drasticamente a internet.

«O Artigo 13, como está escrito, ameaça eliminar a possibilidade de milhões de pessoas – desde criadores a utilizadores do dia-a-dia – carregarem conteúdo em plataformas como o YouTube. Ameaça impedir que os utilizadores na União Europeia vejam conteúdos que já estão disponíveis nos canais de criadores de toda a parte. Isto inclui a incrível biblioteca de vídeos educativos, nomeadamente aulas de línguas, tutoriais de física e outros ‘como fazer’», explica Susan Wojcicki, acrescentando ainda que o Artigo 13 põe em causa não só a fonte de receita dos criadores como a sua capacidade de comunicação.

Relativamente ao lado financeiro, Susan Wojcicki vai mais longe e antecipa que, caso as regras sejam aprovadas, poderão estar sob ameaça centenas de postos de trabalho no continente europeu. «A proposta poderá forçar plataformas como o YouTube a permitir apenas conteúdos de um pequeno grupo de grandes empresas. Seria muito arriscado para as plataformas albergar conteúdos de pequenos criadores porque passariam a ser directamente responsáveis por esses conteúdos.»

A CEO ressalva, porém, que entende a importância de todos os detentores de direitos serem justamente recompensados. Ainda assim, acredita que esta não é a forma mais correcta de o fazer, colocando-se à disposição para desenvolver uma abordagem alternativa.

A todos os que quiserem participar no debate, Susan Wojcicki convida a que investiguem as potenciais consequências do Artigo 13 nos seus canais e que partilhem as suas histórias através do hashtag #SaveYourInternet.

Quanto às prioridades para o que ainda falta deste ano, Susan Wojcicki aponta cinco eixos: comunicação e transparência; ajudar os criadores no processo de monetização; oferecer mais formas de engagement; reforçar as políticas de utilização; e educação (investimento de 20 milhões de euros no programa YouTube Learning).

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Que propósito move os profissionais?
Automonitor
EMEL deixa mais de 120 pessoas à espera de lugar por causa de artista