Cannes não vai aceitar campanhas sexistas

Os trabalhos submetidos a avaliação pelos jurados do Cannes Lions International Festival of Creativity terão um novo critério-base: a empatia. Deverá ser este o método utilizado para definir se determinada campanha é, de alguma forma, sexista, sendo que aquelas que forem consideradas como tal não deverão ser reconhecidas com qualquer galardão.

Porém, trata-se apenas de um guia e não de uma regra. A recomendação será incluída no briefing entregue aos jurados do festival, indicando que trabalhos que objectifiquem qualquer um dos géneros ou que perpetuem desigualdades prejudicam toda a comunidade. Desta forma, a organização pede para que os jurados “usem o seu coração e mente para determinar se a submissão é aceitável”, segundo a AdAge. “E se a pessoa retratada na imagem ou copy fosses tu? Ou a tua filha ou filho, irmã, pai ou mãe?”

O desencorajamento de campanhas sexistas é fruto de um movimento lançado por Madonna Badger, chief Creative office da Badge & Winters, depois de anúncios falsos da Bayer terem vencido um prémio na edição do ano passado do festival. Nestes anúncios, surgia, por exemplo, a frase “Dont’ worry babe, I’m not filming this’.mov” por cima de duas caixas de aspirinas.

Segundo a mesma publicação, a organização dos Cannes Lions trabalhou em conjunto com Madonna Badger e o movimento #WomenNotObjects para definir o novo briefing entregue aos jurados.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Page Assessment tem novo Executive manager
Automonitor
Conselhos para conduzir à chuva