Campanha defende residência alternada para filhos de pais separados

Quase 70% dos portugueses com filhos defende o modelo de residência alternada após a separação/divórcio dos pais. A conclusão é de uma sondagem realizada pela Netsonda em 2018 e reportada pela Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Direitos dos Filhos a propósito da sua nova campanha “Residência Alternada. Amor por inteiro”.

O trabalho publicitário tem como objectivo lembrar a necessidade de alterar a lei no sentido de tornar a residência alternada o regime preferencial. Segundo a associação, o Conselho da Europa, através da Resolução 2079 (2015), recomenda a transposição do regime da residência alternada para as legislações dos seus Estados-membros. Além disso, também o Conselho Superior da Magistratura em Portugal defende o mesmo sistema.

Este mês serão discutidas na Assembleia da República as datas para a votação de projectos-lei apresentados por partidos como PS e PAN nesse sentido. “E, numa altura em que este tema está prestes a chegar ao Parlamento português, a Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Direitos dos Filhos lança uma campanha para chamar à atenção para a importância de ter ambos os pais e mães presentes na vida dos seus filhos”, sublinha a associação em comunicado.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Page Assessment tem novo Executive manager
Automonitor
Conselhos para conduzir à chuva