Campanha da ANP|WWF quer reforçar a ligação das pessoas com o oceano para o salvar

Chega hoje às ruas de Lisboa uma nova campanha da ANP|WWF que pretende ser um instrumento de pressão pública e política no âmbito da Conferência dos Oceanos 2022 das Nações Unidas.

O conceito criado pela FCB Lisboa resgata memórias marcantes da Expo ’98 e tem como objectivo recuperar os laços emocionais e conexões com o oceano, com um conceito gráfico que leva o público a identificar cenários projectados para duas realidades muito distintas: o cenário onde há acção para a protecção e recuperação do oceano e o cenário de inacção que leva à degradação e perda da biodiversidade.

«O oceano produz mais de 50% do oxigénio que respiramos. Para construir um futuro positivo para a natureza, é urgente proteger, restaurar e usufruir do oceano de uma forma responsável e sustentável. Esta missão urgente exige que os governos, as empresas e a sociedade no seu conjunto passem das palavras aos actos e é esse o apelo que fazemos com esta campanha e que vamos reforçar enquanto organização creditada na Conferência dos Oceanos das Nações Unidas», afirma, em comunicado, Ângela Morgado, directora-executiva da ANP|WWF.

A campanha terá ainda uma presença reforçada no Centro Comercial Colombo, em Lisboa, com uma instalação que traz para o domínio da interacção offline a ideia da landing page. Através de uma estrutura composta por 11 painéis acrílicos, os visitantes poderão interagir com a ideia de acção/inacção, “libertando” o oceano dos elementos nocivos.

Também o centro comercial Vasco da Gama vai receber uma activação no âmbito desta campanha, nomeadamente a exposição fotográfica “Cidadãos do Mar”, com imagens da autoria do fotógrafo Carlo Gianferro, da WWF Mediterrâneo e da FishMPABlue. As fotografias retratam vários momentos da vida das comunidades costeiras, que vivem e trabalham da pequena pesca.



Artigos relacionados
Comentários
A carregar...