As bochechas também podem ser espaços publicitários

face-redimensionadaO apreço dos consumidores pelas marcas já levou muitos deles a tatuarem os logótipos das insígnias na pele. Os menos radicais têm sempre a opção de os pintar nas unhas. Mas agora, parece que nem as bochechas escapam.

Para saldar um empréstimo contraído para concluir os estudos no Reino Unido, os jovens britânicos Ross Harper e Ed Moyse transformaram os seus rostos em espaços publicitários, estampando na cara uma marca diferente por dia. O objectivo, noticia a Exame brasileira, é chegar às 50 mil libras (perto de 61 mil euros), a quantia necessária para pagar a dívida.

O modelo de negócio é apresentado numa plataforma intitulada BuyMyFace. No site é divulgado um calendário com os dias ainda disponíveis para publicidade e são esclarecidas dúvidas a quem quiser colocar logótipos nas bochechas dos jovens – ou no rosto inteiro, dependendo da extensão do espaço publicitário comprado.

Depois de pintarem a marca na pele, os rapazes fotografam os anúncios, publicam no site e começam a circular por pontos movimentados na cidade, fazendo brincadeiras e participando em actividades que prendam o olhar das pessoas. As iniciativas são depois publicadas num blogue dentro do próprio site.

YouSendIt, Hello Kitty online e a consultora Ernst & Young são alguns dos nomes que já aderiram a este formato de publicidade. E que parece estar a dar resultados! Até agora, Ross Harper e Ed Moyse já arrecadaram mais de 38 mil euros, mais de metade do que necessitam para pagar o empréstimo.

No projecto os jovens começaram por cobrar cerca de 1,20 euros por empresa, mas o valor das negociações foi aumentando proporcionalmente à popularidade dos rapazes. Durante o mês de Abril, por exemplo, o preço dos espaços publicitários varia entre os 190 e os 570 euros, continua a Exame brasileira.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo