António Sala dá a cara pelo cancro do rim

Em Portugal, há 981 novos casos de cancro do rim por ano. Em comum têm o facto de o tempo ser uma das palavras mais importantes, tal como lembra a nova campanha da BMS e do Grupo Português de Génito-Urinário. O objectivo da campanha, sob o mote “Tempo pelo Cancro do Rim” é incentivar os cidadãos a informarem-se sobre a doença e, assim, ganhar tempo.

Presente em 22 cinemas em Lisboa, Porto e Coimbra, até ao próximo dia 18, conta com António Sala como embaixador. O locutor de rádio considera que «o diagnóstico é um momento de alerta em que parece que um cronómetro começou a contar. Quando o filme da campanha diz que tudo se resume a tempo diz muito bem. O sentido de urgência é outro».

António Sala acrescenta ainda que o tempo é necessário para detectar mas também para garantir que não se deixa nada por dizer ou fazer: «É por perceber bem o que isto significa que me associo a esta iniciativa.»

Fernando Calais da Silva, chairman do Grupo Português de Génito-Urinário, reforça que é preciso estar atento, uma vez que é uma doença silenciosa. No entanto, não é uma patologia que possa ser alvo de um plano de rastreios sistemáticos, como outras doenças oncológicas. «É por isso que a melhor forma de lutar contra o cancro do rim é evitar os factores de risco», remata.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Hyundai promete novo SUV híbrido plug-in para Los Angeles