Água, o nosso bem mais precioso!

A distribuição de água potável é uma das principais funções da Águas de Gaia, motivo que leva a empresa a promover uma série de campanhas de promoção do consumo de água da torneira.

A propósito da actuação da Águas de Gaia, Miguel Lemos, administrador executivo da empresa, explica que, em primeiro lugar, há que desmistificar uma questão. «A água da torneira em Portugal é de altíssima qualidade! E a que servimos aos gaienses é comprovadamente uma das melhores, por isso não deve haver qualquer receio por parte da população em consumir água da torneira!», afirma.

Relativamente às campanhas de promoção, a Águas de Gaia tem desenvolvido várias iniciativas com foco na água: a sua qualidade, o facto de ser ambientalmente mais sustentável e no preço. «Sim, a água da torneira é 1000 vezes mais barata que a engarrafada!», vinca Miguel Lemos.

Para transmitir as suas mensagens, a Águas de Gaia marca presença em festivais e festas de Verão através de “bancas de água”, oferecendo água da torneira e proporcionando provas como forma de promover a qualidade da água e desmistificar a questão do sabor. «Estas bancas têm a particularidade de terem instaladas umas torneiras iguais às que temos nas cozinhas das nossas casas, para que a barreira psicológica da “torneira” seja ultrapassada. Normalmente, nos eventos de maior dimensão, estamos presentes com outras acções de activação de marca, como sejam jogos, passatempos e outros desafios que reforçam a nossa mensagem e têm tido uma enorme adesão», explica o administrador executivo.

A empresa tem efectuado campanhas específicas para a comunidade escolar, com a colocação de bebedouros ligados à rede pública de abastecimento de água em escolas do concelho. «Estamos, neste momento, a preparar uma grande campanha de promoção do consumo de água da torneira nas escolas, campanha essa que incluirá a oferta de uma garrafa reutilizável a cada aluno», projecta.

O responsável afirma que o crescimento do turismo no País, e no nosso concelho em particular, levou ao desenvolvimento de uma linha de comunicação específica de promoção da água da torneira (“Tap Water”). O objectivo é informar e consciencializar quem visita a região que pode consumir a sua água. «Temos vídeos e informações em vários idiomas, divulgamos as análises da qualidade da água igualmente em vários idiomas, fazemos acções de divulgação e “provas” de “Tap Water” em locais turísticos e trabalhamos junto dos hotéis, hostels, alojamentos locais e restaurantes com vista à maior promoção deste nosso bem tão precioso», afirma.

A empresa tem igualmente participado e colaborado em diversas acções de limpeza de praia realizadas no concelho. Regularmente, a Águas de Gaia colabora em acções de limpeza promovidas pela sociedade civil, nomeadamente empresas e associações, mas também pela comunidade escolar, quer do concelho, quer de outros municípios. «É este enquadramento que tem norteado a nossa intervenção, procurando mobilizar toda a população para a problemática da poluição dos oceanos e das praias. E esta questão não se resume apenas às populações do litoral, porque se lançarmos um saco de plástico ou outro qualquer objecto numa rua ou num ribeiro que se situe a dezenas de quilómetros do mar, ele poderá acabar por lá chegar, através da rede de águas pluviais ou da rede hidrográfica», alerta Miguel lemos.

Em breve, a Águas de Gaia, à semelhança do que foi feito noutras zonas do País, irá lançar uma garrafa para promover o consumo de água da torneira. O modelo, apresentado na gala do 20.º aniversário da empresa, já se encontra em produção, destina-se a todos os habitantes da região e será também utilizada pelo município. Para 2019, e a pensar já em 2020, os objectivos passam por dar continuidade à gestão que tem sido levada a cabo, reforçando o estatuto de empresa de referência e tornar a Águas de Gaia cada vez mais eficiente e moderna. «Sermos um exemplo no que diz respeito à redução de perdas de água, ao mesmo tempo que melhoramos ainda mais o nosso nível de serviço junto dos clientes. Para tal, iremos reformular o nosso Centro de Atendimento Permanente, dotando-o da mais moderna tecnologia de atendimento telefónico e electrónico e criar postos de atendimento descentralizado nas juntas de freguesia», antevê o administrador executivo da empresa.

A empresa dará também continuidade à aposta internacional, após uma experiência bem-sucedida em Luanda, decorrente de um contrato de consultoria externa celebrado com a empresa de direito angolano, Empresa Pública de Águas de Luanda – EPAL.

Promoção do conhecimento

A Estação Litoral da Aguda (ELA), uma instituição de educação ambiental, localizada na praia da Aguda, promove programas sobre os oceanos, assim como é um pólo de investigação do ambiente marinho.

A ELA é composta por Museu das Pescas, Aquário, Biblioteca especializada em ciência marinha e centro de investigação. Quem visita esta unidade pode obter informação detalhada (identificação, função, origem e data) de cada objecto que compõe o Museu das Pescas, bem como conhecer melhor as espécies autóctones da costa que podem ser vistas no aquário. «Para os mais curiosos e investigadores, a biblioteca apresenta-se como um verdadeiro tesouro! De realçar que estes programas ambientais abrangem todas as faixas etárias, sendo essenciais como dinamizadores de sensibilização da população jovem, como veículo de mudança de comportamentos e da sociedade», afirma Miguel Lemos.

À procura de inovação

A I&D faz hoje parte do vocabulário da Águas de Gaia. «Não imagino uma empresa como a nossa sem apostar e investir em tecnologia. Temos em curso diversos projectos que irão permitir uma melhor gestão do nosso negócio e, principalmente, a redução de perdas de água. Uma aposta que terá benefícios evidentes, quer do ponto de vista ambiental, quer do ponto de vista económico- -financeiro», assegura Miguel Lemos.

O responsável afirma que hoje, para a tomada de decisões e uma gestão inteligente, é essencial ter acesso a dados obtidos praticamente em tempo real. Por este motivo, a I&D tem hoje um peso importante na empresa. «Criámos um gabinete de estudos para o efeito e estamos a testar tecnologia que nos permitirá, em breve, apresentarmos modelos de gestão da rede e redução de perdas com tecnologia blockchain, recurso a imagens de satélite, contadores inteligentes e uma contínua aposta no nosso sistema de telegestão. Este é aplicado, quer na distribuição de água, como no saneamento, bem como com a implementação de sistemas para uma gestão mais moderna e eficiente da recolha dos resíduos sólidos urbanos», explica o administrador executivo.

Perante esse cenário, a ambição da Águas de Gaia passa pela criação de uma Smart Village que interligue todos estes serviços públicos, sendo possível testar, afinar, melhorar e, posteriormente, alargar, dentro do possível e tendo em conta a capacidade de investimento, a todo o concelho. Paralelamente a esta aposta, será lançada, até ao final do ano, a academia própria de formação da empresa, a H2O Academia.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Produção de carros em outubro quase nos 15%