A voz certa para a sua empresa: 5 dicas para escolhê-la

Por José Sequeira, fundador e CEO da Pim Pam Pum Audiovisual

Um dos preceitos do Branding na actualidade é que nós, consumidores, experienciamos as marcas de maneira multissensorial. Num contexto em que recebemos todos os dias uma enxurrada de informações diferentes, as empresas devem estar atentas a todos os recursos capazes de as diferenciarem das demais.

E o que está relacionado ao som é, definitivamente, algo que requer mais atenção – já que é intrinsecamente ligado a um dos sentidos básicos do ser humano, mas ainda superficialmente explorado pelo marketing.

Sendo a voz um poderoso instrumento de interacção com o qual conseguimos expressar as nossas emoções e parte fundamental nesse âmbito da comunicação, as empresas não se devem esquecer da sua importância para a correcta transmissão das suas mensagens.

Enquanto a voz certa pode criar uma empatia real e duradoura entre a marca e o cliente, a errada pode afastá-lo e até gerar uma imagem negativa sobre o produto ou o serviço em questão. Se a voz não acompanhar a intenção da mensagem, haverá uma perda de credibilidade da mesma.

Para evitar esse tipo de equívocos, deve-se perceber que uma locução profissional é imprescindível para conteúdos empresariais de sucesso. E existem algumas dicas que são úteis na hora de escolher a voz certa para a sua empresa. Vamos a elas?

1 – Comece por enumerar as principais características da sua marca

Faça uma lista dos adjectivos que melhor descrevem a sua empresa. Sólida, simpática, divertida, eficaz? Tenha em mente que a voz certa dará corpo a estas características;

2 – Defina se a voz será masculina ou feminina

Pense como o público com quem quer falar – lembre-se de que não é porque uma determinada voz é a sua preferida que os seus clientes também vão aprová-la…

Um recente estudo revelou que as mulheres são mais convincentes em decisões de compra relacionadas com alimentos, mercearia e viagens. Os homens, por sua vez, são mais eficazes em assuntos sobre computação, automóveis e produtos de saúde;

3 – Escolha o tipo de voz que melhor combina

O renomado professor de Psicologia da Universidade da Califórnia Albert Mehrabian desenvolveu uma teoria que defende que apenas 7% do significado de uma mensagem provém das palavras em si, enquanto 38% é proveniente do tom de voz.

Avalie se pretende encontrar uma voz para dar informações, explicações, colocar questões ou persuadir alguém, por exemplo. Se estiver a comunicar para o público sénior, opte por um tom que transmita a mensagem com calma e clareza. Já se o target for o mercado internacional, garanta que o locutor seja nativo ou tenha um sotaque compreensível do idioma eleito;

4 – Escolha um estúdio de confiança

Procure aconselhamento profissional e oiça as indicações dos especialistas em áudio – uma voz desadequada ao público a que se destina pode transmitir a sensação de que a mensagem não é para ele.

É pertinente que os profissionais escolhidos dêem prioridade à voz natural para a comunicação ser autêntica – o que é muito valorizado pelo público hoje em dia, especialmente pelos mais jovens;

5 – Seleccione alguns finalistas e oiça seus trabalhos anteriores

Após definir as vozes preferidas, peça para ouvir gravações/trabalhos anteriores dos locutores. Poderá, assim, ter mais segurança ao definir a voz da sua marca. Verifique se o profissional tem versatilidade para criar momentos de interesse durante a fala e se pronuncia claramente todas as palavras que são ditas.

Antes de decidir, pergunte-se se aquela voz poderá representar a sua marca a longo prazo e se o locutor tem esta disponibilidade. É natural que o público crie uma relação emocional com a voz e associe-a à sua marca – se isso acontecer, será algo que não deverá ser desperdiçado.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
EDP e Galp lideram índice de sustentabilidade Dow Jones
Automonitor
Combustíveis a caminho do maior aumento em 8 meses