75% dos consumidores pondera cortar nas “refeições fora de casa”

facagarfoO sector da restauração poderá ser um dos mais afectados caso as famílias portuguesas reduzam os seus gastos mensais em 2012, alerta o estudo “Consumo em tempos de crise: números e expectativas dos portugueses”, realizado pela Marktest Consulting, empresa do Grupo Marktest.

Colocados perante um cenário de necessidade de redução das despesas este ano, quase três em cada quatro (ou 75%) dos inquiridos pela Marktest Consulting admitiu que uma das suas primeiras soluções seria cortar nas “refeições fora de casa”.

O estudo, realizado entre 5 e 26 de Dezembro de 2011, revela ainda que 60% dos portugueses estão dispostos a cortar as despesas em idas ao “cabeleireiro”, na “aquisição de mobiliário e decoração” para a casa e em gastos culturais, como idas ao cinema ou ao teatro.

Pelo contrário, os gastos em “alimentação para o lar” e “saúde” são considerados quase «intocáveis» para a maioria dos portugueses, sublinha o Grupo Marktest em comunicado. 31,2% dos entrevistados afirmou que espera aumentar, nos próximos 12 meses, as despesas em “água, luz e gás da habitação” e 31,1% acha provável uma subida das despesas em “transportes”.

Quanto ao nível de vida, 85% dos inquiridos considera que a situação financeira dos seus agregados familiares está agora pior que há um ano e 78% antecipa que ela estará ainda pior daqui a um ano, revela o Grupo Marktest, concretizando que o valor médio das despesas das famílias portuguesas é de 1.219 euros por mês.

O estudo resulta de 980 entrevistas online a indivíduos, residentes no Continente, entre os 15 e os 64 anos de idade, tendo por base um questionário de perguntas fechadas.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
O Jim não é humano mas já é o melhor recrutador do maior banco de Singapura
Automonitor
Escapadinhas: Avis lança a campanha “Weekend XXL”